Como funciona a compra e venda de cartas contempladas de consórcio?

O consórcio é uma maneira simples, prática e eficaz de ter acesso a bens de consumo como automóveis e casas. Num consórcio, um grupo de pessoas se reúne e contribui mensalmente com parte do valor do bem que se pretende adquirir.

Dessa forma, a soma dos valores contribuídos permite que a cada mês um consorciado possa ter acesso a um imóvel ou carro, seja através da contemplação por sorteio ou lance.

Uma maneira de agilizar o processo é adquirindo as chamadas cotas contempladas. Num consórcio contemplado, você tem, em tese, o acesso imediato ao bem, sem esperar pelo sorteio.

A compra e venda de cotas contempladas é uma atividade legal, apesar de não ser regulamentada por regras específicas. Nessa negociação, um consórcio contemplado é vendido e quem compra a cota pode utilizar a carta de crédito para retirar o bem desejado (automóvel, moto, casa, etc.

Em tese, o benefício acontece para ambas as partes. Quem compra o consórcio contemplado retira o bem de imediato e não precisa esperar pelo sorteio ou efetuar lance. Para quem vende a cota contemplada, o ágio na venda supera os rendimentos que teria com outros investimentos.

Fundamental para essa negociação dar certo é ser feita por partes legítimas e dentro dos padrões normais. Lembre-se que administradora não se responsabiliza pela compra e venda de consórcios contemplados, ainda que seja na maioria das vezes, um bom negócio também para ela – mantém a carteira ativa e ainda pode conseguir vender uma outra cota para o cedente da cota contemplada.

Para fazer um bom negócio, fique atento ao tipo de procedimento que está sendo solicitado. Esse é um terreno fértil para estelionatários e fraudes. Existem golpes na praça e às vezes, na ânsia de conseguir um bem, a pessoa pode ver seu dinheiro ser levado sem receber nada de volta.

Um dos golpes mais comuns é a oferta de consórcios contemplados através dos classificados de jornal, especialmente automóveis, motos e imóveis. Publicadas apenas com um telefone para contato (uma secretária eletrônica), o possível comprador deixa seu número e em pouco tempo recebe uma ligação de retorno.

Então, é solicitado a enviar toda sorte de documentos por faz e para depositar uma determinada quantia em dinheiro, “para cadastro” ou “para ficha cadastral”.

Muitos golpes não param por aí – após alguns dias, tendo sua “ficha” aprovada, o comprador é solicitado a depositar mais algum dinheiro. Dessa vez, um percentual do valor do bem como sinal!

Já seria uma fraude de bom tamanho, mas alguns estelionatários mais ousados chegam a enviar para o “cliente” nota fiscal e documentos. E nesse momento, solicitam o depósito do resto do valor combinado.

Tudo parece muito correto e diligente – até o cliente descobrir que ao ir a “loja tal”, tal compra não foi efetuada e não nenhum veículo para ser retirado.

Outras vezes, o golpe é feito por empresas reais e estabelecidas no mercado. Fique atento: a promessa verbal de compra e venda de um consorcio contemplado não garante a retirada do bem.

Caso seja oferecida a você essa possibilidade, exija que a oferta esteja escrita em contrato, com todas as garantias. Muitas dessa vendas são feitas oferecendo a cota contemplada pagando apenas taxas de adesão e outras taxas. Fique de olho! Exija tudo por escrito e leia atentamente tudo que estiver assinando.

Por isso, fique atento. Consulte o site do Banco Central ou o Procon de sua cidade. E não mande dinheiro sem antes ter certeza de que está lidando com empresas ou pessoas idôneas. Comprar um consórcio contemplado deve ser fonte de lucro e prazer – não perca dinheiro, ou sossego! Consulte sempre nossa página para descobrir dicas e notícias atualizadas sobre consórcios nacionais e cotas contempladas.

Deixe um comentário